um blogue pessoal com razões e emoções á esquerda

UM BLOGUE PESSOAL COM RAZÕES E EMOÇÕES À ESQUERDA

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

autarcas no ferro-velho

A administração da CP negociou com a Câmara de Cascais o número de comboios circulantes na Linha de Cascais. Carlos Carreiras, o presidente da Câmara de Cascais, eleito pelo PSD, diz que conseguiu manter todos os comboios existentes na linha. A CP diz que só são 4 dos 41 previstos os não suprimidos.
Carreiras faz demagogia com o transporte ferroviário da linha suburbana de Lisboa. Anunciou nesta sexta-feira que chegou a acordo com a CP “para a manutenção de todos os comboios no concelho de Cascais”. É verdade. A transportadora só tinha suprimido duas circulações para aquela vila. As outras 49 partiam e chegavam de Oeiras. A reintrodução de dois comboios para aquela estação é um fraco consolo para quem viu perder 20% da oferta.
Não é a primeira vez que a CP anuncia cortes nesta linha e depois recua (ainda que pouco). Em  Abril de 2002, sem qualquer aviso prévio, o então presidente da CP, Crisóstomo Teixeira, nomeado pelo PS, resolveu suprimir 39 comboios por dia na linha de Cascais. Na altura a oferta era de 296 circulações por dia, número que passou para 279.
O argumento à data foi “a elevada taxa de motorização em Portugal, o forte investimento na expansão da rede rodoviária, o fraco investimento na modernização da linha e a deslocação das zonas habitacionais para áreas distantes do caminho-de-ferro”.
Os protestos de populações e autarcas levaram a CP a recuar, mas sem que esta viesse a repor a totalidade dos comboios suprimidos.
Desde então a oferta veio sempre a descer. Em 2014 a linha de Cascais já só tinha 251 comboios por dia. Desde o passado dia 19 de Janeiro passou a ter apenas 200. Em doze anos este eixo suburbano perdeu 96 comboios por dia.
Segundo o Jornal Público, o objectivo agora declarado foi poupar o material que, de tão velhinho, precisa de descansar (!)
O mesmo diria de certos autarcas…

Sem comentários:

Enviar um comentário