um blogue pessoal com razões e emoções á esquerda

UM BLOGUE PESSOAL COM RAZÕES E EMOÇÕES À ESQUERDA

quarta-feira, 4 de março de 2015

Nemtsov: quem foi?

Alguém matou a tiro Boris Nemtsov, de 56 anos, quando passeava com a namorada, uma modelo ucraniana de 22 anos, por uma ponte em Moscovo, perto do Kremlin, uma zona extremamente controlada pela polícia e forças de segurança. Um crime condenável e a exigir apuramento de responsabilidades.

Mas quem foi Boris Nemtsov? Ele foi Governador da Região de Nijni Novgorod, e Primeiro Vice-primeiro-ministro no governo de Boris Yeltsin. O agora encomiástico dirigente da oposição liberal russa tem sido designado como campeão das liberdades e autor de denúncias anti-corrupção. Forças politicas pró-ocidentais surgiram invocando a memória do “estadista”. As vozes do oportunismo político, em Portugal e em todo o mundo, invocaram logo a mão de Putin e do actual poder russo na morte do pseudo-herói, tudo sem provas.

Mas quem foi verdadeiramente Nemtsov? Na década de 90, os dois Boris participaram activamente na espoliação do património de Estado e dos recursos da economia, entregando-os a grupos oligárquicos criminosos e a interesses estrangeiros. A Rússia foi transformada nesse tempo num anão político, uma potência sem economia, com as pessoas na penúria, sem emprego e sem dignidade nacional. Os únicos que não se alegraram quando Nemtsov e a gangue de Yeltsin deixaram o poder foram alguns oligarcas e os neoliberais "ocidentais". 

Li recentemente a descrição da alienação da fábrica de instrumentos cirúrgicos em Vorsma, Lenine Zavod, 70 km a sul de Nijni Novgorod. Os mafiosos do grupo de Nemtsov inventaram um género de acções de participação na propriedade da empresa, distribuíram-nos pelos trabalhadores, deixaram de pagar ordenados aos trabalhadores, que na penúria venderam por qualquer preço ao mesmo grupo mafioso, donde a compra da fábrica a preço irrisório. A rapina generalizada dos enormes recursos naturais da Rússia foi tal que a massa monetária em dólares em circulação era superior á moeda nacional. Os gangues mafiosos enfrentavam-se como nas ruas de Chicago dos anos 20. Roman Abramovich, essa figura enigmática, do desporto e da riqueza, ganhou fortuna rápida com o petróleo e o alumínio estatais, obtida por corrupção do gangue de Yeltsin. Em 1998 a Rússia atingiu a falência económica e financeira. E a decadência total!

Depois de demitido do poder, e até ontem, Nemtsov foi figura insignificante da oposição política, com menos de 1% de votos. O verdadeiro partido de oposição na Rússia são os comunistas, com cerca de 20% do total de votos. Ninguém no governo tinha qualquer motivo para temer ou dar qualquer importância a Nemtsov. Dizem alguns milhafres, ou Milhazes, que sei eu, que Nemtsov ia publicar um livro sobre a presença militar russa na Ucrânia. O que os satélites americanos não tinham provado ainda, nem a “quinta coluna” interna, talvez pudesse ser revelado por um político sem qualquer apoio popular significativo, alguém pensou.

CR

Sem comentários:

Enviar um comentário