um blogue pessoal com razões e emoções á esquerda

UM BLOGUE PESSOAL COM RAZÕES E EMOÇÕES À ESQUERDA

sexta-feira, 15 de julho de 2016

POEMA

A CIGARRA - Maria Helena Walsh

Tantas vezes me mataram
Tantas vezes morri
Entretanto estou aqui
Ressuscitando
Graças dou à desgraça
E à mão com punhal
Porque me matou tão mal
E segui cantando

Cantando ao sol
Como a cigarra
Depois de um ano
Debaixo da terra
Como o sobrevivente
Que volta da guerra

Tantas vezes me apagaram
Tantas desapareci
Ao meu próprio enterro fui
Só e chorando
Fiz um nó no lenço,
Mas logo esqueci
Não foi a única vez
E segui cantando

Cantando ao sol
Como a cigarra
Depois de um ano
Debaixo da terra
Como o sobrevivente
Que volta da guerra

Tantas vezes te mataram
Tantas ressuscitarás
Quantas noites passará
Desesperando
E à hora do naufrágio
E à da escuridão
Alguém te resgatará
Para ir cantando


Cantando ao sol
Como a cigarra
Depois de um ano
Debaixo da terra
Como o sobrevivente
Que volta da guerra…

Sem comentários:

Enviar um comentário