um blogue pessoal com razões e emoções á esquerda

UM BLOGUE PESSOAL COM RAZÕES E EMOÇÕES À ESQUERDA

domingo, 9 de abril de 2017

A HORA DA MUDANÇA

(reflexão sobre a Cultura que se vai promovendo ou apoiando…)

As autarquias, como lídimos representantes institucionais dos interesses das populações, têm uma capacidade de intervenção no plano cultural que as tornam essenciais. Elas são muitas vezes parceiras de entidades diversas bem como de organizações populares ou associativas de base. As diferentes formas ou expressões de criatividade artística destinam-se á fruição geral de toda a comunidade, que nelas encontra objecto de formação e de aprendizagem, de consumo lúdico e de formação de gostos e hábitos.

Quem nunca viu uma peça de teatro certamente não encontra nessa área uma particular aproximação ou interesse. Quem nunca visitou, mesmo que por simples curiosidade, uma exposição de pintura, certamente terá dificuldade em interpretar as mensagens implícitas ou explícitas, ou apreciar os tons e as formas. Mas há sempre um começo.

 Sem paternalismos ou superioridade intelectual, sei que a cultura nos torna mais capazes de compreender o mundo. E mais aptos em colocar alternativas/soluções ou em enfrentar dificuldades pois o projecto, o sonho e a ficção são sempre ferramentas de futuro. Dito isto, passo ao exemplo concreto da vida.

Comecemos por salientar que Penafiel obteve um Premio da melhor agenda cultural autárquica, patrocinado pela Sociedade Portuguesa de Autores. E o que terá estado na base de tal distinção? Como o nome diz, foi uma Agenda Cultural qualificada e diversificada, aberta a iniciativas e tradições mais populares e a iniciativas de carácter mais elaborado ou elitista. A Escritaria, iniciativa regular e sem hiatos de continuidade, de divulgação e encontro com figuras literárias nacionais de relevo, constitui certamente um bom Cartão de Visita de uma preocupação e orientação, mas muitas outras actividades se poderiam registar. Neste momento, por exemplo, está a acontecer no Auditório do Museu de Penafiel (outro ex-libris do concelho) um ciclo mensal de cinema com filmes ligados á temática da saúde (depressão, demência…), uma iniciativa da CESPU, com apoio do Museu e da Câmara, e do Centro Hospitalar Tâmega e Sousa.  Tantos os especialistas, que no final da projecção do filme, têm oportunidade de o comentar como o cidadão comum, simples espectador, podem adquirir conhecimentos ou emoções ou simplesmente disfrutar desse desafio. Poderia falar das iniciativas da Biblioteca Municipal ou da defesa do rico património, do Mózinho e tantas outras vertentes. Não posso deixar de registar e aplaudir os protagonistas autárquicos nesta área, com esta  movida cultural, que prestigia e dá identidade a uma comunidade.  

Em autarquia vizinha, Lousada tem igualmente uma programação cultural muito significativa. Tem uma companhia de teatro profissional e permanente a Jangada Teatro, com produção regular e a FOLIA, Festival Internacional de Artes do Espectáculo. E iniciativas singulares como umas Rotas de Gourmet, uma visita a especialidades gastronómicas no contexto de jardins de casas senhoriais. E apresenta espectáculos musicais nos auditórios com o melhor da criação nacional de espectáculos populares, como é a programação deste ano, que faz inveja a muita cidade e vila de maior dimensão. As mesmas felicitações aos autarcas responsáveis, fruto do agrado com essa dinâmica. 

É portanto alicerçado nestes exemplos, certamente extensivos a outros locais e a outras experiências autárquicas, que registo como fundamental a persistência e continuidade de projectos culturais que se assumam como transformadores da realidade e do pensamento, libertos de preconceitos ou juízos ideológicos, dinamizados por gente que goste da Cultura, como um Bem Natural e uma Marca dos Tempos.

CR

Sem comentários:

Enviar um comentário