um blogue pessoal com razões e emoções á esquerda

UM BLOGUE PESSOAL COM RAZÕES E EMOÇÕES À ESQUERDA

terça-feira, 25 de abril de 2017

Concessão da Medalha de Ouro do Municipio de Paredes e titulo de Cidadão de Honra do Municipio de Paredes




Dia 25 de abril de 2017

Intervenção

Exmos Senhoras e Senhores, aqui presentes
Digníssimos Autarcas de Paredes e restantes Autoridades de Paredes 
Distintos cidadãos homenageados
Queridos familiares
Meus amigos e caros camaradas

Quis a Câmara Municipal de Paredes, na pessoa do seu Executivo Municipal, homenagear-me neste dia simbólico do 25 de abril, o Dia da Liberdade.  
Agradeço a deferência e o reconhecimento de um percurso não acabado e de uma presença que sendo política foi também intervenção social e cívica. Sabia das provas de amizade e respeito de muitos que aqui estão, que julgo ter já muitas vezes retribuído.  
Serei breve.
Nasci na freguesia de Rio Tinto, concelho de Gondomar, de uma família normal, aquilo que se chamaria hoje de classe média baixa, pai Armando comerciante e mãe Delfina doméstica, felizmente ainda vivos e aqui presentes. Da educação familiar e escolar (escola primária e liceu Alexandre Herculano) obtive os valores e ensinamentos que me moldaram em vida adulta como ser humano.
Terminado o curso de Medicina, entrei na vida activa e profissional e então cresci como cidadão com identidade e projecto. Os desafios do exercício da Medicina aproximaram-me do ser humano doente, dos problemas da deficiência, da disfuncionalidade, da vulnerabilidade. Nasceu uma expressiva consciência social.
 Ao mesmo tempo tive uma outra escola, comum a camaradas e amigos, (muitos dos quais permanecerão para sempre anónimos), de um colectivo que me ensinou que é possível um Mundo melhor, uma sociedade de igualdade e progresso. E que a contribuição individual, baseada no estudo e na coerência, mesmo que nem sempre reconhecida, pode sempre antecipar o Futuro.
Em 1990 cheguei a Paredes onde passei a residir e a trabalhar. Como autarca, na Assembleia Municipal, atravessei as presidências de Granja da Fonseca e Celso Ferreira, a quem aqui cumprimento. Como político desempenhei cargos e funções, bem como fui candidato pela CDU a eleições legislativas gerais e locais. Perdi muitas vezes, ganhei algumas, poucas vezes, mas do sempre duro combate em Democracia se formou o homem político e resistente.  
Desde cedo coloquei ao serviço de amigos dirigentes de diversas coletividades diversas o meu tempo disponível e o meu compromisso social. São várias as instituições a que tenho tido o prazer de solidariamente ajudar, como Bombeiros, Associações Desportivas e Culturais (Cete, Lordelo, Vandoma, Recarei, Parada de Todeia). Saúdo aqui a disponibilidade ao serviço da comunidade de muitos desses dirigentes.
Assinalo, e perdoe-se-me a imodéstia da referência em sublinhado, a actividade voluntária desde há 15 anos com assistência médica á população de Parada de Todeia. Não esquecerei nunca a inter-relação entre as duas partes de um contrato assistencial mutuamente vantajoso.
Minhas senhoras, meus senhores
A responsabilidade de muitos anos como eleito da CDU transforma-me já num quase “dinossauro político” em Paredes. A quem se permite dois apontamentos neste momento importante na sua vida.
Tenho como certo que a Politica deve qualificar-se com uma componente ética, e com uma disponibilidade de com competência exercer responsabilidades delegadas pelas populações. Ao contrário do que dizem muitos (e o que não será o mesmo do que efectivamente pensam!), sei que se pudesse voltar atrás em atos e intervenções, certamente á luz do que a vida nos ensina permanentemente, fá-lo-ia certamente algo diferente, com o tempo a ser mestre de uma intervenção melhor.
Ao contrário do que dizem muitos de si próprios, certamente em muito errei, fiz por vezes juízos apressados, e mesmo terei sido injusto ou errado em tomadas de decisão. Mas tenho a noção de que nunca errei ou prejudiquei com intenção ninguém.
Neste 25 de abril, afirmo solene e sinceramente de que vale a pena ser de Paredes ou lutar por Paredes. E no pluralismo de opções concretas, nomeadamente do âmbito do Poder Local, encontraremos certamente uma vontade comum de servir.
Neste dia Inicial, inteiro e límpido como diz Sophia de Mello Breyner, permitam-me um Viva o 25 de abril!
Obrigado.


Cristiano Ribeiro

Sem comentários:

Enviar um comentário